Artigos

Universidade de Brasília celebra cinquentenário até abril de 2013

Categoria: noticias


Reunião da Comissão UnB 50 Anos debate iniciativas de comemoração do Jubileu. UnBTV pretende se transformar em canal aberto

A Comissão UnB 50 Anos realizou sua primeira reunião na gestão do reitor Ivan Camargo. “É muito bom estar aqui, entre pessoas que amam e pensam a universidade e que têm minha total confiança”, comentou.

Na tarde desta segunda-feira (3), o reitor reafirmou a determinação de manter as celebrações do Jubileu até abril de 2013, quando a Universidade completa 51 anos de inauguração. “Temos que continuar dando a visibilidade que a UnB merece”.

A primeira parte da 28ª reunião da Comissão contou com relatos de projetos desenvolvidos com recursos da Chamada Pública UnB 50 Anos. O concurso apoiou a realização de 51 iniciativas.

Um dos destaques foi a apresentação do livro Diálogos entre Anísio e Darcy: o projeto da UnB e a educação brasileira. Coordenado por Remi Castioni e José Luiz Villar, docentes da Faculdade de Educação. A obra reúne textos apresentados durante o seminário de mesmo nome realizado em novembro.

Segundo o professor Castioni, “o evento foi pensado para ser um momento de reflexão sobre o pensamento de Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro, fundadores da UnB, e um espaço de debates sobre a criação da Universidade de Brasília, a partir de seu Plano Orientador, de 1962”.

Do seminário também surgiu a proposta de incluir Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro como patronos da educação brasileira, ao lado de Paulo Freire. Um grupo de trabalho da Comissão UnB 50 Anos será formado para analisar a viabilidade desta ideia e possíveis encaminhamentos.

Os resultados do projeto 40 anos de Antropologia na UnB foram apresentados pela professora Soraya Fleischer (DAN). A iniciativa se desenvolveu através de seminário, mostra de fotografias e produção de vídeo.

“Ficamos animados com o edital do cinquentenário e decidimos realizar atividades de celebração e reflexão sobre a Antropologia”, relatou Fleischer. “Debatemos as raízes do programa de pós-graduação, bem como o seu presente e perspectivas futuras”, concluiu.

Decano de Pesquisa e Pós-Graduação, o professor Jaime Santana parabenizou o trabalho realizado. “Com avaliação 7 na Capes, os cursos de mestrado e doutorado da antropologia estimulam a excelência na UnB”, avaliou.

A mostra de fotografias históricas foi montada a partir de acervos pessoais. O Laboratório de Imagem e Registro de Interações Sociais (IRIS) produziu documentário focado na trajetória de Roque Laraia, professor emérito da UnB. O filme tem exibição para a comunidade acadêmica prevista para 2013.

UnBTV Digital - O andamento do processo de obtenção de um canal digital aberto de televisão para a Universidade de Brasília foi relatado pelo professor Armando Bulcão (FAC). “Não se trata apenas de um canal”, advertiu o professor, “mas de uma plataforma de convergência de várias mídias”.

Bulcão tem se dedicado a organizar o projeto da UnB dentro das exigências da portaria 355 do Ministério das Comunicações, que trata das outorgas de concessão, permissão e autorização para a execução dos serviços de radiodifusão com finalidade exclusivamente educativa.

Estimativas apontam para um investimento em torno de R$ 2 milhões, mas Bulcão alerta: “equipamento não é o maior desafio. É preciso estabelecer condições para administração de recursos humanos e financeiros”.

Armando Bulcão apresentou um plano que prevê, dentre outras ações, a reconvocação do GT Mídias Digitais, criado em 2010, “redefinindo suas metas e prazos à luz das oportunidades abertas pela portaria 355.” Segundo os critérios estabelecidos pelo governo, as universidades têm prioridade no processo de obtenção de canais.

Ponto de taxi e monumento – Como parte das celebrações do cinquentenário, a UnB encaminhou ofício ao GDF para definir condições de instalação e gestão de pontos de táxi nos campi universitários. Diretor do Centro de Planejamento (CEPLAN), o professor Alberto Faria relatou que a proposta está pendente de resposta da Secretaria de Transportes sobre critérios e procedimentos para a construção.

Faria também informou que o CEPLAN está estudando formas de colocar em prática o “Monumento à Cooperação Científica”, proposta de Avatar Moraes, falecido docente do IdA, apresentada à Comissão UnB 50 Anos pelo professor José Carlos Coutinho (FAU).

MONUMENTO

O monumento propõe uma reflexão sobre as possibilidades de integração do conhecimento entre ensino, pesquisa e extensão e entre ciência, tecnologia, arte e humanidades.

 

 

ENSINO DE ARTES E MOVIMENTO ESTUDANTIL - Em 1986, 1987 e 1989, a UnB reuniu artistas, pesquisadores e professores de diversas universidades brasileiras que participaram dos "Encontros Ensino das Artes". Segundo a professora Grace de Freitas, “a retomada do Instituto de Artes como unidade acadêmica autônoma se fortaleceu a partir das discussões realizadas”, avaliou.

Thérèse Hofmann, decana de Extensão, ressaltou a relevância da iniciativa. “Participei dos Encontros como estudante e eles foram importantes na minha formação acadêmica”, afirmou. Outro resultado dos eventos foi a organização do livro "O Ensino das Artes na Universidade: Textos Fundantes" que será publicado nos próximos meses. A obra recebeu a chancela da Comissão UnB 50 Anos.

A professora Grace de Freitas também se dispôs a sistematizar e apresentar proposta de um novo encontro Ensino das Artes a ser organizado em 2013. Mais informações sobre a história do IdA estão disponíveis aqui (incluir link em cima do aqui para, retirando este trecho, )

O movimento estudantil na UnB é objeto do documentário “Promemeu: História e Memória em Construção”. Realizado pelo Centro de Documentação (CEDOC) e pela UnBTV, o filme traz depoimentos de professores e estudantes que promoveram o registro das atividades do Centro Acadêmico de História e, em seguida, ampliaram o escopo para o movimento estudantil da universidade como um todo.

“O vídeo foca o período de redemocratização da UnB e do Brasil”, ressalta Valdene Costa Rocha, técnica no CEDOC e uma das responsáveis pela iniciativa. O documentário terá sua primeira exibição às 18 horas do dia 11 de dezembro, no Auditório Dois Candangos.

No final da reunião, o professor Aldo Paviani relatou o andamento do Projeto Palavida, espaço multicultural de referência nacional e internacional par exposição e exibição de costumes e das culturas dos povos. Está sendo criado Grupo de Trabalho em parceria UnB e GDF para verificar formas de promover e viabilizar a iniciativa.

A próxima reunião da Comissão UnB 50 Anos está agendada para 17/12 às 14h15 no Salão de Atos da Reitoria. Mais informações sobre as atividades desenvolvidas estão disponíveis em www.unb50anos.com.br