Artigos

Depoimento: Ex-morador do CEU opina sobre sua passagem pela UnB

Categoria: perfis_depoimentos
Escrito por Leyberson Pedrosa

Moradia estudantil, cotas e convívio com estudantes negros na UnB: esses são alguns temas abordado pelo antropólogo Angelo Sátyro em depoimento sobre sua relação com a instituição

Foto: Leyberson PedrosaAngelo Sátyro é ex-aluno de Antropologia da Universidade de Brasília e, atualmente, faz doutorado na Espanha. Em visita à UnB no primeiro semestre de 2012, Angelo deu seu depoimento sobre a época em que morava na Casa do Estudante Universitário (CEU), ou CO- como chamavam o espaço devido à proximidade com o Centro Olímpico. Entre os fatos curiosos, ele relata a mobilização dos moradores da casa do estudante, que transformou um posto policial em construção perto do CO em posto de atendimento médico, odontológico e psicológico.

Na ocasião da entrevista, o Supremo Tribunal Federal (STF) tinha julgado as cotas da UnB e reforçado sua constitucionalidade. Esse assunto também foi debatido por Angelo, que acompanhou e militou pela criação das cotas na universidade.

Antes de falar sobre a residência estudantil e as cotas, Angelo fez questão de cital qual presente ele reservaria para a UnB em homenagem ao seu cinquentenário: "Um presente que eu daria seria muitas velinhas para a UnB assoprar levemente, ja imaginando em cada vela um ano dos próximos 50, para que sejam tão bons quanto aos de agora", comparou. O ex-morador do CEU reforcou também os laços que ainda mantem com a UnB por meio do contato com professores ou pela receptividade que encontra ao visitar a instituição. Contudo, critica a atual estrutura do Centro de Conviência Negra. Em sua opinião, o espaço precisa ser reestimulado. "O Centro de Convivência Negra foi construindo a partir das cotas e essa estrutura precisa repensada, inclusive a partir do próprio atendimento oferecido aos negros que visitam o local", alertou.

Clique AQUI e assista à entrevista com Ângelo sobre o posto policial e as cotas na UnB.